sexta-feira, agosto 21, 2009

De volta... para ficar

…dois anos depois Caros amigos leitores. Sei que vão pensar que este blog foi criado para fazer campanha. Os factos até vos darão razão, no entanto, isso não é toda a verdade, nem é de toda a verdade que me fez cria-lo. É que os últimos anos 3 anos e alguns meses é um tempo para tentar limpar da minha memória. Não em todos os sentidos... ... mas no campo político e profissional, são com toda a certeza. Mais à frente explicarei o porquê.

quinta-feira, julho 26, 2007

Ainda o aborto

Meus amigos,
Os referendos, diz a constituição (pelo menos foi o que sempre ouvi dizer, mas também podemos confirmar), são válidos só e apenas só quando existe a expressão da vontade de pelo menos 50% dos Portugueses com direito a voto.
O referendo ao aborto (e isto não mau perder), não obteve essa percentagem, logo, digo e com certeza todas as pessoas de bem, não deve ser válido. Mas os governantes acham que a vontade dos portugueses não conta, e então vinculam o resultado cantando vitória.
Continuo com a ideia que é uma lei anticonstitucional.
Alberto João Jardim, manifestou essa mesma opinião, pediu a anulação da lei por ser anticonstitucional e não a aplicou na Madeira. MUITO BEM. Apoio-o e felicito-o por isso.
No entanto, os socialistas, continuam a dizer que não aparece (Já estou habituado a coisas destas. Quando algo não interessa, nunca aparece) nenhum protesto no tribunal constitucional.
Agora vem também o cavaco silva apelar aos Madeirenses para fazerem abortos.
Só não percebo, porque tanto interesse em fazer abortos.
Será que esta gente não vê que também morre e o dinheiro não lhes vai dar mais vida?
Será que as pessoas ainda não viram que não há aqui mais do que grandes interesses?
Para cúmulo vem agora o governo dizer que vai dar mais dinheiro às grávidas.
- Será para elas poderem pagar melhor os abortos?
Pensem nisso e continuem a criticar…
Aquele abraço

Mapa de localização de leitores




terça-feira, julho 24, 2007

Apito dourado, casa pia e a mania de sermos os maiores

Os portugueses dos governos têm sempre a mania de quererem ser sempre os melhores.
As grandezas nunca foram agoiro para uma boa governação, digo eu. Se somos grandes devemos orgulhar-nos disso, mas temos também que ser suficientemente responsáveis, sérios e humildes para aceitarmos que somos (quando assim tem que ser) pequenos.
Andam muito empenhados em querer assinar o tratado da união europeia, para ficarmos na história e para poder ficar nos escritos "tratado de lisboa". Lembro que nos tempos em que Portugal era uma grande potência. Nos nossos longínquos, sérios e memoráveis tempos dos descobrimentos (que os miúdos da agora praticamente não ouvem falar), alguns tratados foram assinados fora de portas e isso não fez de nós pequenos.
Ao mesmo tempo... Não vejo qualquer preocupação em resolver definitivamente um caso que tanto nos deve envergonhar. O processo casa pia e todo um comportamento deplorável e inaceitável de alguns (que continuam a apelidar, não sei porque) notáveis, que já deveria conhecer um veredicto há muito tempo continua a arrastar-se pelos tribunais, até (digo eu) cair no esquecimento e ficarem sem castigo esses que continuam a manchar a sociedade portuguesa.
Não vejo qualquer preocupação em punir aqueles, que a troco de procedimentos (que tantos teimam em associar aos italianos de Sicília) ludibriam milhares de pessoas, enchem os seus bolsos e desvirtuam a realidade e a história.
Só seremos do grupo dos bons, quando tratarmos as coisas de uma forma séria. E só depois poderemos pensar em ser, ou tentar, ser os maiores.
Pensem nisto.
Abreijos,
Paulo Cardoso

Novo Blog - Com pedido de desculpas

A minha falta atencao e tempo, levou-me a nao ter lido mais cedo um comentario ao ultimo post que tinha aqui colocado.
Peço desculpa ao To, que e administrador do blog "Aguia de Ouro".
Nao sou benfiquista mas, como clubismos comparado com humanismo nem gota chega a ser dentro do oceano. Nao sei se conheco o To, mas ainda assim. Adicionei o link para o seu blog benfiquista.
Parabens To. Tens ai um bom blog. Força... Continua a blinkar e a blogar.
Abraço.
Paulo Cardoso

Finalmente ...as férias... tão merecidas

Mais um ano lectivo que termina...
Desta vez, com todo o direito tambem termina para mim.
Este ano, decidi que deveria ser realmente estudante-trabalhador, e acabei por (inexplicávelmente) quase nao perder aulas (apenas algumas no primeiro semestre), dai nao ter actualizado este espaço. Agora merecidamente, estou de férias, e com algum aproveitamento, mas, como não sairam ainda todas as notas, mais tarde, se calhar, colocarei aqui as minhas.
Voltarei, a partir de agora a pronunciar-me sobre algumas coisas da actualidade nacional. Quanto à concelhia ainda é cedo... Espero que percebam porque, ou então perguntem-me.
Aos que por cá passaram e viram sempre o mundo cao como ultimo post, as minhas desculpas, aos que só agora reparam o tempo que passou, sejam bem vindos.
Bola, escola, trabalho, sociedade, serao temos que me faram escrever, embora que (e como costumo dizer que nao devemos esquecer que o mal faz parte do nosso dia-a-dia) a politica nao sera esquecida, se houver motivo para tal.
Como diz o meu amigo Fausto,
Abreijos
(que são: abraços para eles e beijos para elas)
Paulo Cardoso

quarta-feira, fevereiro 14, 2007

Mundo cão

Este país é cada vez mais uma pertença do mundo cão. Não sou, nunca fui e recuso ser retrógrado, mas… … acima de tudo sou homem humano. Não vou agora aceitar pertencer ao mundo cão, que a instituição politica nos quer impor para seu proveito. Explico: Li no jornal que um senhor atropelou uma senhor para os lados da Maia, na A41. Esta porque se tenha talvez chateado com o namorado ou marido, saiu do carro e tenta passar para o outro lado da auto-estrada (logo numa zona escura como aquela). Zás… Vem o senhor descansado a conduzir e “leva-a na frente”. Pena??? Só do homem. Os seguros e o concessionário da auto-estrada, não querem saber, não assumem responsabilidades. Se fosse um animal, assumiriam, como foi uma pessoa não. (???) Insólito. Digo eu… Os políticos portugueses querem que sem qualquer motivo, repito, sem qualquer motivo uma mulher possa matar um ser humano e que por tal, não seja condenada. Por outro lado: A lei Portuguesa prevê uma pena que pode ir até três anos se uma pessoa cortar uma árvore ou matar um animal em vias de extinção. Ora, como respeitar a lei não me parece coisa obrigatória (a avaliar pela decisão do governo ao alterar a lei do aborto que foi a referendo e não obteve 50% de votos, logo à luz da lei, não vinculativo), cá vai o meu concelho: “NÃO CUMPRAM A LEI”. Não é que tenha mau perder, mas, não me conformo com uma lei absurda que vai contra qualquer lei da vida, melhor, atenta contra a vida. Por isso mesmo e porque sei que isso nunca acontecerá, só para lançar a confusão, vou a partir deste momento começar a recolher assinaturas para enviar uma petição ao governo. Vou propor a despenalização do homicídio. Sim, porque ninguém é obrigado ter quem não quer, logo não é obrigado a aturar quem não quer, logo mata e não tem nada que ser condenado por isso. Se concorda com esta petição, envie a sua assinatura e n.º do B.I. por e-mail. Aquele abraço

segunda-feira, fevereiro 05, 2007

Voto NÃO, e tu???

Sabiam que o aborto é legal nas seguintes condições: 1. Se a gravidez implicar problemas para a saúde para a mãe, ou para o feto. Até às 12 semanas. 2. Se a gravidez for criminal (provocada por violação). Até às 24 semanas. 3. Se no feto forem detectadas deficiências ou mal formação. Até às 24 semanas. Logo, o que acham que falta aqui. Não encontro faltas. Pelo menos necessidade. Por isso... Voto NÃO... e tu?

Referendo, mais nunca é de mais...

Por curiosidade, já alguma vez leram o código penal, mais própriamente o seu artigo 229? Então leiam... Diz lá, por outras palavras e sem especificar nomes ou raças: Quem cortar um sobreiro, ou matar uma cegonha, avestruz, garça e outras... incorre numa pena de prisão até três anos. Agora, pergunto-vos eu... E que acaba com a vida ou o seu desenvolvimento, não será justamente condenado?

sábado, fevereiro 03, 2007

Dia 11

Os outros dizem que os movimentos pelo NÃO usam argumentos não válidos e desadequados. Mas eu digo mais... Os argumentos usados pelos movimentos pela matança, usam argumentos mentirosos. Leram bem, mentirosos. Digam-me vocês, já algum dia ouviram falar que foram presos casais, por terem feito um aborto clandestino. Pois este, é um dos argumentos por eles usados... São portanto: MENTIROSOS. No dia 11 de Fevereiro, sejam racionais... Pensem em vocês próprios e no facto de poderem simplesmente não existir se o aborto fosse livre e mais um método contraceptivo, como querem que seja. Mais... Já pensaram a quantidade de dinheiro que iria sair dos cofres do estado (não basta o que já sai) para pagar abortos nas clínicas privadas! Ou estão a pensar que os abortos se vão fazer nos centros de saúde... Já pensaram que essas clínicas privadas podem ser de Braga! Não queiram arrepender-se depois... Votem NÃO.